domingo, 13 de fevereiro de 2011

MST: Cantando a resistência

Ao som de viola caipira, violão, tambor e outros instrumentos musicais, e entoando em coro a música Calix Bento, canção do folclore mineiro, músicos e poetas abriram o 1º Mutirão de Cantoria da Escola Nacional Florestan Fernandes (ENFF), do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST).
O evento, que é um encontro de celebração e resgate da cultura popular com poetas e cantadores de várias regiões do país, aconteceu em Guararema (SP), no auditório da ENFF, dia 28 de janeiro. O mutirão, que durou 10 horas, contou com cerca de 20 apresentações de artistas, que através da sua arte festejam a cultura popular brasileira. Os poetas e violeiros fizeram apresentações que foram da música sul-mato-grossense e gaúcha missioneira até as músicas e poesias do Pará.
Estiveram presentes Zé Mulato e Cassiano, que representam a essência da música caipira no Brasil, Pereira da Viola, de Minas Gerais, entre vários grupos e cantadores. A escola de samba Unidos da Lona Preta, de São Paulo, participou apresentando o enredo do carnaval deste ano.
Para Felinto Procópio, o Mineirinho, integrante do coletivo de cultura do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), o evento foi uma mostra de que a arte deve ser tratada como elemento central na formação da consciência. “Esse Mutirão fortalece o zelamento da cultura popular. É zelar pela musicalidade dos violeiros, dos poetas e, acima de tudo, zelar por nossa cantoria de resistência e luta. E este evento está cumprindo com uma das missões da Escola, que é ser formadora a partir da arte”. Para ele, outro detalhe importante é que esse mutirão é amplo. “Aqui cabe o violeiro, o sanfoneiro, o poeta e o cantador”, afirma.

Com Brasil de Fato

2 comentários:

  1. Marco Antônio Leite13 de fevereiro de 2011 11:12

    PARABENS AO POVO EGÍPCIO QUE DURANTE VINTE DIAS LUTOU NAS RUAS DO PAÍS
    CONTRA UM GOVERNANTE QUE POR TRINTA ANOS MANTEVE ESSE MESMO POVO SOB
    UMA DITADURA FEROZ E SANGUINÁRIA.
    NO ENTANTO POR SER UM POVO CONSTITUIDO DE JOVENS SEM EMPREGO, ESCOLAS E CULTURA SE SENTIRAM NA OBRIGAÇÃO DE LUTAR BRAVAMENTE PARA DERRUBAR UM DÉSPOTA, O QUAL DURANTE ESSE PERÍODO DELAPIDOU O ERÁRIO PÚBLICO DO EGITO. VIVA ESSA GENTE BRAVA, GENTE QUE NÃO CANSOU UM SÓ MINUTO PARA ALCANÇAR SEUS OBJETIVOS QUE FOI POR PARA CORRER DO PODER O VELHO E CARCOMIDO MUBARAK E SUA CORJA DE ASSASSINOS. JÁ QUE ESTAMOS FALANDO EM POVO, QUE TAL A NOSSA GENTE LUTAR CONTRA ESSA SÚCIA DE LADRÕES QUE TOMARAM CONTA DA POLITICA NACIONAL.

    ResponderExcluir
  2. Marco Antônio Leite13 de fevereiro de 2011 11:13

    PARABENS AO POVO EGÍPCIO QUE DURANTE VINTE DIAS LUTOU NAS RUAS DO PAÍS
    CONTRA UM GOVERNANTE QUE POR TRINTA ANOS MANTEVE ESSE MESMO POVO SOB
    UMA DITADURA FEROZ E SANGUINÁRIA.
    NO ENTANTO POR SER UM POVO CONSTITUIDO DE JOVENS SEM EMPREGO, ESCOLAS E CULTURA SE SENTIRAM NA OBRIGAÇÃO DE LUTAR BRAVAMENTE PARA DERRUBAR UM DÉSPOTA, O QUAL DURANTE ESSE PERÍODO DELAPIDOU O ERÁRIO PÚBLICO DO EGITO. VIVA ESSA GENTE BRAVA, GENTE QUE NÃO CANSOU UM SÓ MINUTO PARA ALCANÇAR SEUS OBJETIVOS QUE FOI POR PARA CORRER DO PODER O VELHO E CARCOMIDO MUBARAK E SUA CORJA DE ASSASSINOS. JÁ QUE ESTAMOS FALANDO EM POVO, QUE TAL A NOSSA GENTE LUTAR CONTRA ESSA SÚCIA DE LADRÕES QUE TOMARAM CONTA DA POLITICA NACIONAL.

    ResponderExcluir