segunda-feira, 3 de maio de 2010

Na sessão de descarrego não pode mentir


Para fugir das comemorações do dia do trabalhador onde se concentram milhares de pessoas, gente do povo, trabalhador de todas as camadas sociais, José Serra para não ficar fora do foco escolheu um evento evangélico para aparecer na mídia.

Em muitas reuniões religiosas e principalmente nas igrejas evangélicas é comum a sessão descarrego, que uma reunião de cura e libertação de vícios. Acho que encontramos a razão de Serra ter ido a esse templo em Santa Catarina, Serra tem um vício de não gostar de trabalhadores e gente do povo.

Enquanto isso os apoiadores da candidatura Serra, PSDB, DEM e PPS passaram o final de semana fustigando Lula e a candidata Dilma Rousseff por comparecerem as comemorações de 1º de Maio. Que mal tem, o presidente tem origem nos movimentos dos trabalhadores.

E Serra foi orar. Mas, mentira tem perna curta, e um repórter descobriu que o governo de Santa Catarina (PSDB) e a prefeitura de Camboriú (PSDB), ambos geridos por tucanos, injetaram R$ 540 mil no encontro anual da Assembléia de Deus. Que pecado dessa gente que mente.

Orçado em cerca de R$ 800 mil, o ato missionário teve dois terços de seu custo bancado pelos cofres do Estado e do município, isso é dinheiro público na campanha de Serra.  A sessão do descarrego é um tratamento espiritual para aquelas pessoas que sofrem com problemas causados por encostos, e por ações de inveja através da mentira.

Na demanda da sessão de descarrego, muitas pessoas talvez até desesperadas procuram os templos acreditando estar “possuída por demônios”, como Serra está sempre ao lado do DEM, acho que ele não vai conseguir descarregar o encosto e nem se livrar dos demônios.

Um comentário:

  1. ESPERO QUE OS EVANGÉLICOS NÃO CAIAM NESSA DO GENGIVÃO.

    ResponderExcluir